6 Dicas para Analisar a Usabilidade de Lojas Virtuais

Manter a sua loja online sempre atualizada e fácil de navegar é um dos principais fatores que contribuem para o aumento da sua taxa de conversão. Por isso, além de pensar na renovação do estoque, promoções e precificação, é também muito importante saber analisar a usabilidade e manter layout de seu e-commerce atualizado.

Para manter seu layout atualizado e fácil de navegar, devemos usar como base análises de interações entre usuário e loja virtual, as melhores práticas para analisar a usabilidade e as tendências do mercado.

Neste artigo, vamos te dar 6 principais dicas para que você saiba analisar a usabilidade, compreender mais sobre seu consumidor online e, assim, elaborar as melhores estratégias para impactar seu público alvo.

1. Use Ferramentas para Analisar a Usabilidade e Métricas

Para analisar a usabilidade e métricas, é necessário primeiramente instalar ferramentas específicas para esse fim. Na internet, podemos encontrar diversas ferramentas, as mais conhecidas são:

Uma ferramenta para analisar a usabilidade deve ser sempre usada para complementar uma ferramenta de métricas, como o Google Analytics.

Abaixo, estão listadas os principais recursos comuns em ferramentas de análise de usabilidade:

Mapas de Calor (Heatmaps)

Exemplos de Mapa de Calor

Apresentam as áreas mais e menos visualizadas pelos usuários, geralmente são utilizados tons quentes para as áreas mais acessadas e tons frios para as áreas menos acessadas do layout. Além disso, também é possível ver quais são as áreas mais clicadas e quais são os locais do site onde tem mais movimentação do cursor do mouse.

São excelentes recursos para compreender o que está chamando atenção do usuário em uma única página.

Aproveite e baixe! e-Book Gratuito “9 Principais Estatísticas Para Ficar de Olho em sua Loja Virtual”.

Gravações de Tela (Recordings)

Essa funcionalidade grava em vídeos toda a visita de um usuário à sua loja virtual, mostrando quais páginas ele acessou, onde ele clicou, quais pontos ele teve dificuldade, ou seja, grava toda a jornada de compra do usuário. É uma maneira bem interessante de compreender quais áreas do layout devem ser mantidas e quais precisam ser aprimoradas.

Neste recurso, podemos estudar o comportamento do usuário durante toda a navegação. Com base em uma única amostra, é possível ter insights extremamente valiosos para melhorar a interface.

Funil de Conversão

Esse registro permite analisar a porcentagem de usuários que abandona cada etapa até a finalização da compra. É importante ver qual etapa possui maior índice de desistência e verificar o porquê. Se a maioria desiste da compra na entrega, pode ser porque o valor do frete e prazo da entrega não estão de acordo com o esperado pelo cliente.

O recomendado então é inserir mapas de calor nestas páginas e identificar padrões de comportamentos que podem ser aprimorados.

2. Foco no “Mobile First”

mobile first web design

Deixar seu site apropriado para ser acessado através de dispositivos mobile não é mais um diferencial, mas sim essencial para seu negócio.

De acordo com a pesquisa feita pela Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios (Pnad) do IBGE, realizada em 2016, demonstrou que 92,1% dos domicílios acessaram a internet através de um dispositivo mobile, enquanto 70,1% dos domicílios o fizeram por meio de desktop.

Dessa forma, podemos afirmar que os dispositivos mobile se consolidaram como a principal preferência de acesso à internet pelos brasileiros.

É imprescindível adotar uma nova metodologia para a criação de lojas virtuais. Devemos, primeiramente, pensar no layout para dispositivos mobile (smartphones e tablets) e depois adaptá-los para o desktop (computadores e notebooks).

A principal recomendação é criar layout que seja minimalista e clean, para se adaptar adequadamente às telas de menor tamanho.

3. Seus botões “Call to Action” estão realmente chamando a atenção?

Em geral, os botões “call to actions” – aqueles usados para induzir o usuário para uma ação – devem possuir um tamanho maior, estar em posições adequadas e ter cores chamativas.

Em alguns casos, é interessante manter os botões mais importantes fixos no layout, acompanhando a rolagem do usuário.

Existe um mito que diz que a cor verde é a que converte mais. Na verdade, os botões “call to action” devem possuir uma cor que contraste com a cor principal do layout, para chamar mais atenção do usuário. Assim, a cor verde é ideal para um layout onde a cor dominante é o vermelho, por conta do contraste entre essas duas cores.

Em resumo, o que é levado em consideração prioritariamente para a cor do botão é o CONTRASTE entre as cores.

Obs.: O contraste deve ser sempre com cores que combinam entre si. Por isso, para fazer essa combinação de cores é importante utilizar o círculo cromático, que foi criado a partir de diversos estudos sobre cores.

Veja aqui um exemplo de círculo cromático:

Cor principal: Vermelho | Cor contraste: Verde

Aproveite e conheça um pouco mais como diminuir a taxa de rejeição da sua loja virtual.

4. Jornada de Compra

Conhecer a jornada de compra do usuário é essencial para entregar a melhor experiência para cada lead e transformá-lo em consumidor de sua loja. Mas o que o que seria essa jornada de compra?

A jornada é todo o caminho percorrido por um usuário, levando em conta desde o momento antes dele acessar a loja até a realização de um pedido.

Geralmente, os consumidores utilizam os sites de busca para encontrar o que estão procurando. Assim sendo, é importante verificar se a sua loja atual possui área para textos focados em SEO (Search Engine Optimization) com o intuito de melhorar a indexação e o rankeamento de sua loja virtual nos sites de busca, aumentando assim os acessos orgânicos.

É importante definir áreas do layout para inserir esses textos. O método mais comum é inserir textos feitos por um especialista em SEO no final das páginas, inserindo as palavras-chave mais buscadas, previamente definidas, de acordo com o público alvo e segmento do seu negócio.

Tratando-se de como melhorar seu layout, é importante tirar as distrações desnecessárias em cada página, mas também tenha em mente que nem todos o usuários irão acessar sua loja pela primeira vez através da página inicial. Por isso, deve-se manter as informações mais relevantes em todas as páginas.

Deixe claro para o usuário qual ação ele deve fazer em cada página, para otimizar a jornada de compra do usuário, diminuir a sua taxa de rejeição e, por fim, melhorar a sua taxa de conversão.

5. Como está o carregamento da sua loja virtual?

Outro ponto relevante que precisa ser verificado é o tempo de carregamento do seu site, pois esse fator está intrinsecamente relacionado à taxa de conversão do seu site. Para fazer essa mensuração, existem diversas ferramentas no mercado:

Essas ferramentas são extremamente fáceis de usar e mostram quais pontos precisam ser melhorados e quais estão adequados em sua loja virtual.

Um estudo feito pela Amazon, afirmou que para cada 1 segundo de atraso, as taxas de conversão diminuem cerca de 7%. A Google recomenda que o tempo de carregamento de e-commerces deve ser na casa dos 5 segundos, no máximo. Acima de 6 segundos é de tempo de carregamento, é considerado razoável e acima de 9 ruim.

Fonte: Test My Site | Think With Google

Portanto, lembre-se: quanto MAIS rápido for o site, MAIOR será a taxa de conversão! 😉

Os principais erros que os lojistas cometem e que afetam a performance de carregamento da loja virtual são:

A) Banners muito pesados

Sabe aquele banner bonitão que seu designer fez? Então, sempre utilize um compressor de imagem (como o TinyPng) antes de subi-lo em sua loja virtual para deixar o peso total da página mais leve. Isso ajudará para que as informações sejam carregadas com maior velocidade.

B) Quantidade exagerada de “vitrine de produtos” na página inicial

Por ser a porta de entrada da sua loja virtual, a home deve ser a página mais veloz. Dessa forma, recomendamos colocar apenas um carrossel de produtos e trabalhar mais com banners que auxiliem na jornada de compra do usuário.

Para este fim, é interessante trabalhar com banners focados em categorias, filtros e produtos mais vendidos.

C) Erros de programação

Também contribuem para o mal desempenho da loja virtual, o uso de muitos recursos externos que dependem de JavaScript sem compactação.

Faça uma “limpeza” periódica nos scripts da sua loja virtual e deixe somente o que for necessário e estratégico para cada página.

6. O que o seu consumidor está procurando? Questione-o

Por último, mas não menos importante, é interessante sempre perguntar diretamente para o seu público alvo o que ele espera quando acessa sua loja virtual. Quais são os pontos que ele acha bacana, o que precisa ser melhorado, se o valor do frete está adequado, se as promoções o incentivam a efetivar uma compra, etc.

Este questionário pode ser feito online ou presencial e deve ser feito direcionando as perguntas para um grupo seleto. O ideal é que você escolha pessoas que estejam dentro do perfil do seu público alvo.

Com as perguntas certas para as pessoas certas, você conseguirá compreender mais profundamente quais aspectos subjetivos você deve manter e quais devem ser melhorados.

Conclusão: Mantenha-se atualizado e use as estatísticas a seu favor

É imprescindível sempre estar a par das tendências do mercado para não ficar atrás de seus concorrentes! Além disso, é interessante sempre se colocar no lugar do usuário e se perguntar se o layout faz sentido, se está tudo claro, legível e colocado de forma que irá despertar o desejo do seu consumidor.

Veja também: VIDEO – Como melhorara a experiência de compra e aumentar as conversões da sua loja virtual

Curtiu este conteúdo? Compartilhe em suas redes sociais!

Artigos Relacionados